“Esta é uma homenagem do país e de todos os portugueses ao escutismo católico em Portugal”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, visitou o campo do 23.º Acanac e falou à Flor de Lis no final de uma visita em que esteve em contacto com os milhares de escuteiros que nesta altura se preparam para iniciar este acampamento para fazer um balanço da sua visita.

20170731_rp_marcelo_0722

O que é que o Presidente da República, e o mesmo será dizer, o país… espera dos escuteiros?
Não é por acaso que o Presidente da República aqui está. E tenciono regressar durante o meu mandato, sempre que haja, não direi uma realidade tão grandiosa como esta, porque esta é única até agora, mas pelo que há pouco me diziam, há mais de 40 anos que nenhum presidente da República vinha a um acampamento vosso. Estar aqui é uma homenagem do país, de todos os portugueses, ao escutismo católico em Portugal.
Significa, por um lado, homenagem ao espírito que é único, que vem de Baden Powell e que é um espírito de disponibilidade, de serviço, de dedicação… no fundo, de sentido coletivo, de integração comunitária, além da realização integral da pessoa.

Sempre com a ligação à Igreja Católica…
E porque católico, por maioria de razão… porque aí, o dever de formação e de serviço dos outros é mais forte, como a sua projeção comunitária é mais responsável. O Presidente da República veio aqui agradecer aquilo que foi uma obra que começou em 1923 e que não parou e continua virada para o futuro, que percorreu muitas e muitas gerações de portugueses e portuguesas, e vai percorrer. Esta é uma expressão muito eloquente disso, pelo número, pela representatividade nacional, pela presença solidária que nos vem do estrangeiro, pela organização, pelo acolhimento.
Está aqui comigo o senhor Presidente da Câmara, e Idanha-a-Nova soube acolher de uma forma muito amiga e fraternal, e depois, pelo estado de espírito de todos… e eu acabo de perfazer três horas de contacto com milhares de escuteiras e escuteiros, e realmente é muito impressionante ver a sua alegria, o seu calor, o seu espírito solidário, a sua ideia de grupo no bom sentido do termo, portanto tudo aquilo que faz um grande escuteiro, como faz um grande português, e faz um grande católico.

20170731_rp_marcelo_0726

Abraça o Futuro…  a defesa da Casa Comum… vê nestes jovens a reserva de esperança que permite encarar o futuro com otimismo?
Mas é isso mesmo, há aqui uma esperança… não é por acaso que a ideia chave desta atividade é “Abraçar o Futuro”, abraçar o futuro em todas as suas dimensões, a nível global abraçar o planeta, abraçar a natureza, pensar naquilo que é o diálogo entre gerações, mas abraçar também a comunidade mais próxima, abraçar o país, abraçar a comunidade que começa na família e continua na comunidade local… e esse respeito pela natureza, esse respeito pelo outro, que são inseparáveis, fazem muito parte da lógica desta grande iniciativa nacional que, como tal, não podia deixar de ter a presença do Presidente da República.

Também há muitos adultos no escutismo. O que é que o presidente lhes sugere na missão que desempenham?
Eu acho que os adultos vão ser escuteiros até ao fim da vida, e nessa medida não vão envelhecer. Eu não sei, em relação ao escuteiro, como é possível fazer a distinção entre os mais jovens e os menos jovens… o verdadeiro escuteiro nunca fica menos jovem, nunca envelhece senão não é um bom escuteiro. Portanto, aqueles que eu aqui encontro, às vezes pergunto-lhes baixinho, não direi a idade, mas há quantos anos andam nesta aventura… eles vão-me dizendo há quantas décadas isso se passa, mas estão aqui como se fosse a primeira vez. Isso mostra o que é realmente um espírito que atravessa as gerações.

Pela sua dimensão, e trabalho desenvolvido, o Corpo Nacional de Escutas não poderia ser mais envolvido nas tomadas de decisão sobre matérias educativas?
Não tenho dúvidas, eu recordaria que o movimento escutista resistiu à tentativa de absorção da ditadura. Quando foi criada a Mocidade Portuguesa, houve uma tentativa de “OPA”, ou seja, uma oferta pública, e ali nem era pública, mas sim privada, de aquisição sobre o que era uma realidade com força e com projeção universal. E resistiu, e não era fácil resistir e, portanto, com o mesmo dinamismo e a mesma energia. O seu papel em democracia é fundamental. Na definição das políticas de educação, é evidente que um dos parceiros privilegiados há de ser este movimento.

20170731_NP_MARCELO_01.jpg

Texto: Henrique Matos
Fotos: Nuno Perestrelo e Ricardo Perna

 

Anúncios

5 thoughts on ““Esta é uma homenagem do país e de todos os portugueses ao escutismo católico em Portugal”

  1. Partilhamos inteiramente esta justa homenagem, que para tanto também contribuímos e prosseguimos na eterna vontade, geração após geração, de estar alerta para servir, partilhar e viver em comunidade. Mas infelizmente, nem todas as crianças, nem todas as famílias, nem todos os agrupamentos deste mesmo movimento escutista católico, tiveram iguais condições económicas e materiais, de participar neste grandioso evento, tal qual nós, AGP 1373 de Outurela. Um dia se Deus nos ajudar, lá chegaremos também, com os nossos meninos e meninas, apoiados pelos animadores e dirigentes que os acompanham.

    Gostar

    1. Ânimo! Se Deus quiser irão daqui a 4 anos. De certeza que irão arranjar soluções para angariarem fundos ao longo dos 4 anos para isso. Força!

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s