Como ajudar os jovens a abraçar o futuro?

O espaço Éden, no Acanac, recebeu, na noite do dia 3 de agosto, a tertúlia “Abraça o futuro”. Os convidados eram o Pe. João Chagas, responsável da Congregação para os Leigos, Família e Vida, do Vaticano, o secretário de Estado da Educação, João Costa, e o Chefe Nacional do CNE, Ivo Faria, que foram convidados para refletir sobre a melhor forma de Igreja, Sociedade civil e Escutismo conseguirem ajudar os jovens nesta dura tarefa de crescimento e de construção de um mundo melhor.

20170803_rp_tertulia_1448

Na impossibilidade de viajar até Portugal, o Pe. João Chagas interveio na tertúlia via Skype e começou por afirmar que há uma “necessidade de ouvirmos os jovens, de fazermos coisas com eles”. “Vejo o escutismo como uma escola de liderança”, referiu o sacerdote, que abordou ainda a necessidade da juventude se preparar convenientemente para o Sínodo.

João Costa, secretário de Estado da Educação e antigo chefe regional de Seúbal, começou por afirmar que o “nosso sistema educativo evoluiu mais rapidamente nos últimos 40 anos que muitos países em 100 anos”. Apesar disso, somos “um dos países em que mais se chumba”, afirmou, explicando que os mais pobres são quem mais chumba. Explicando que a estabilidade é algo de necessário no sistema, deixou um alerta. “Cuidado com a estabilidade, porque se não fizermos nada, estamos a prejudicar os mais pobres”, defendeu.

Para além disso, João Costa considera que aquele ideal do aluno “certinho, que se comporta muito bem e não chateia ninguém”, contrasta com o que a sociedade pede aos jovens de hoje, criando um paradoxo que é importante resolver, segundo o secretário de estado.

20170803_rp_tertulia_1457

O Chefe Nacional do CNE, Ivo Faria, explicou que o CNE precisa de “simplificar” a ação pedagógica, “mas sem entrar em facilitismos”, reconhecendo que, a nível do sistema de progresso, “a aplicação no terreno do que se pensou não está a correr tão bem”. Neste sentido, defendeu, a título pessoal, que o “diagnóstico inicial pode cair”, porque “se pode fazer ao longo do ano escutista”, para além de ser importante criar “ferramentas pedagógicas que nos ajudem”.

A noite terminou com apelo para que todos os dirigentes e responsáveis pelo trabalho com crianças tomassem consciência da premência do cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que apontam a 2030.

Texto: Ricardo Perna
Fotos: Diogo Marcelo

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s